2 poemas de Gustavo Hatagima

Por Gustavo Hatagima






deflagração a partir de versos de Mário Cesariny




Por outro lado, se eu tivesse um nome

um nome que me fosse realmente o meu nome

isso provocaria

calamidades

terríveis


(Mário Cesariny, A Antonin Artaud)




Por outro lado, se eu tivesse um _____

um _____ que me fosse realmente o meu _____

isso me faria

__________

__________.



*



o ______

ausente ao lado ou

nas pontas dos dedos

é o risco


de ferir

e ferir-se.







argo


para Renan Reis



opto por flutuar como um polvo etéreo


(Ana Beatriz Domingues (Janaú), bom é quando dá sede!...)



para esquecer

leio [obsessivamente] o Dicionário de Animais do Brasil, de Rodolpho von Ihering, publicado

em 1968 pela Editora da Universidade de Brasília,

e descubro:

o Architeuthis do Atlântico

atinge dezoito metros de envergadura.


não enxergo

dezoito metros no mar profundo

passeando. fui

às águas frias e salgadas

ao encontro de ouriços caravelas e cavalos marinhos

mas a dimensão desses braços

me surpreende e arrepia.

por outro lado, reconheço semelhanças com o Argonauta tuberculata:

as fêmeas possuem uma concha externa muito fina

não encontrada no corpo dos machos.


não me dou ao trabalho

de procurar o que já perdi.




 

Gustavo Hatagima é designer gráfico e pedagogo, mestrando em Educação pela USP e professor da educação básica no município de Jundiaí. Editou a página Algo deu errado, fruto do Curso Livre de Preparação do Escritor (CLIPE) da Casa das Rosas/SP. Publicou a plaquete independente livro do gengibre (2019).


Ilustração: Vinícius Ribeiro